Empreender no Canadá (Parte 1 de 2)

negocios.jpg

Dando continuidade ao post Empreender no Brasil, farei um relato de minha recente  experiência empreendendo no Canada. Estarei divindo o post em duas partes para não ficar muito grande e cansativo.

Para quem esta chegando agora no blog, eu Imigrei para o Canada com minha família a pouco mais de um ano, largando uma carreira executiva no Brasil em busca de uma melhor qualidade de vida e segurança para minha família.

Ainda no Brasil, já com o plano de imigração elaborado, iniciei minhas buscas por negócios aqui no Canada. Aqui existem os chamados “Business brokers“: corretores de negócios. São profissionais contratados pelas empresas para encontrar compradores para seus negócios. Assim iniciei minha busca e contatos com alguns brokers.

Primeiros passos

Business-for-sale

Ao chegar no Canada em meados de 2017, a primeira fase foi procurar o negocio que eu iria comprar. Segui os passos que descrevi em meu post anterior e decidi procurar por um negocio já estabelecido na área de varejo (preferencialmente no setor de Alimentação, mas não estava excluindo nada nesse primeiro momento).

A primeira grande diferença do processo que passei no Brasil foi o grau de profissionalismo e nível das informações disponíveis dos negócios que avaliei. Aqui tudo é tratado com muito formalismo. Após a definição do valor disponível para investimento, rentabilidade esperada e segmento de atuação, foi a hora do meu business broker me apresentar algumas opções. Ate esse momento apenas algumas informações básicas eram abertas para mim.

Após escolher algumas opções, chegou a hora do compartilhamento do pacote financeiro. Primeira formalidade: assinatura de um acordo de confidencialidade (NDA – Non-disclosure Agreement). Assinado o documento um pacote em PDF é enviado para cada empresa escolhida.

Informações detalhadas sobre os resultados financeiros dos últimos 5 anos, Financial statements, balance sheet, um documento apresentando a empresa, principais clientes, mercado de atuação, copia do contrato de locação, informações sobre equipe (tempo de casa, salários, benefícios, cargos), enfim, um pacote extremamente completo e muito profissional. Tudo assinado por Contador e auditado.

A titulo de comparação, no Brasil quando eu comprei meu negocio, o máximo que recebi foi um historio de vendas dos últimos 12 meses. Todas informações que usei para montar meu próprio DRE tive que ir “caçando”.

Para mim, a disponibilização de informações torna todo o processo muito mais seguro e confiável. Claro que todos nos sabemos que “resultado passado não é garantia de resultado futuro”, porem comprar um negocio as cegas nao é muito aconselhável!

A escolha

escolha

A minha experiência com franquia no setor de Alimentação no Brasil foi tão boa que acabei escolhendo uma franquia no mesmo setor aqui no Canada!

Apesar de estar com um business broker me acessorando, eu acabei conseguindo essa franquia entrando em contato direto com o corporate da empresa. O processo foi um pouco mais complexo que com o business broker, pois precisei ser “aprovado” pela franqueadora. Alem disso o fato de eu ser tecem-chegado ao Canada e ainda vindo de um pais que consta na lista de “Risco de lavagem de dinheiro” agregou uma dificuldade a mais e tive que comprovar em detalhes (e com documentos) a origem do dinheiro, e comprovar toda minha experiência como executivo e dono de negócio.

Comprovações feitas, chegamos a hora da negociação. A unidade em questão pertencia a própria franqueadora desde a abertura, a quase 10 anos. O ponto positivo foi que a equipe estava extremamente treinada e em compliance com todos os processos e procedimentos da franquia. O ponto negativo é que os resultados não estavam la muito bom.

Vendas em quedas a mais de 5 anos, prejuízo financeiro a anos, e um excessivo gasto com mao-de-obra. Não é a toa que essa unidade estava a venda já a algum tempo.

Ok Executivo Investidor, mas então por que raios você comprou esse negocio??

A Oportunidade

oportunidade

Conforme expliquei no meu post “Empreender no Brasil“, acho importante voce ter experiência no segmento em que quer empreender. Nesse caso o setor era o mesmo que meu antigo negocio no Brasil. Meu grande conhecimento operacional e minha vasta experiencia em analise financeira e projetos de reduções de custo me permitiram visualizar ótimas oportunidades analisando os dados financeiros e indicadores operacionais. Alguns pontos que pude observar:

  • Alto custo de mao-de-obra (alto $/Receita Liquida e Receita / hora-trabalhada),
  • Alto custo de materiais (COGS ou CMV, custo de mercadoria vendida), isso afeta diretamente a margem bruta, que estava muito inferior a media do setor,
  • Despesas Gerais elevadas (telefonia, correio, contador, manutenção, os custos estavam elevados pelo tamanho da operação)
  • Vendas em queda a 5 anos. Esse talvez tenha sido minha maior aposta e maior risco assumido.

O Risco

receita-e-despesa

No mundo dos negócios toda oportunidade tem um risco associado, e no meu caso o risco era o desafio de tornar a operação lucrativa! Quanto maior o risco e desafio, maior a oportunidade.

LUCRO = RECEITA – DESPESA

De forma bem objetiva, pode-se aumentar o lucro de duas formas:

  • Reduzir despesas: Cortar gastos e otimizar despesas é um importante passo, porém extremamente limitado. Nao conseguimos eliminar totalmente os gastos, apenas controla-los.
  • Aumentar as receitas: Aqui esta o pulo do gato! Nao existe limite para o aumento das receitas! Se mantivermos controlados os gastos fixos, todo incremento nas vendas é percebido diretamente no bottom line: LUCRO NO BOLSO!

O primeiro ponto para mim era tranquilo e com minha experiência já tinha visualizados as oportunidades, porem como aumentar as vendas? Bom aqui tinha varias ideias:

  • Marketing direto (radio, mídias sociais, boca-a-boca)
  • Parcerias com empresas (oferecer descontos para funcionários)
  • Manter e melhorar o nível de serviço (qualidade do produto, rapidez e cordialidade no atendimento)

Fechamento do negocio

smallbusiness

Após ponderar risco x oportunidade resolvi aceitar o desafio! Não me considero nenhum expert na arte de negociação, porém sempre costumo me preparar para toda negociação antes de iniciar uma. Eu considero de suma importância você entrar numa negociacao sabendo claramente O QUE você quer, e QUAIS CONCESSÕES esta disposto a fazer em relação ao que você quer.

A Franquia já havia me passado juntamente com o pacote de informações financeiras o valor e as condições da venda. Eles estavam oferecendo um incentivo (redução) nos royalties e fundo de marketing pelo período de um ano, alem de um valor relativamente inferior ao custo dos ativos (equipamentos). Apenas um parêntesis, geralmente quando se compra um negocio ja estabelecido, juntamente com o custo dos ativos é somado o Goodwill (equivalente ao valor intrínseco do negocio, valor da marca, base de clientes, etc). Nesse caso não estavam cobrando nem o custo dos ativos.

Entretanto achei que ainda tinha espaço para negociar melhor valor e condições, uma vez que o risco era bem grande. Cheguei a negociação bem firme com minha  proposta, porem já havia definido o que aceitaria de contra-proposta. Dessa forma após uma longa negociação por telefone, troca de emails e SMS, chegamos as condições finais: desconto de 30% no valor inicial pedido e incentivo nos royalties e fundo de marketing por dois anos.

Achei uma excelente negociação, ainda mais em se tratando de uma franquia de grande porte americana. Conseguir concessões nos royalties é praticamente impossível pois essa é a principal e grande fonte de receita de qualquer Franquia.

Um ponto importante aqui é que todo esse processo precisa ser formalizado pelo advogados! Meu advogado com o advogado deles. O Canada exige que qualquer assinatura de contrato seja intermediado por um advogado (compra de casa, por exemplo), para garantir que nenhuma parte seja enganada ou passada para trás. Apesar do custo adicional achei que valeu muito a pena para mim que não conhecia a fundo as leis canadenses. Alem disso o advogado me auxiliou na abertura da empresa.

A seguir…

Espero que tenho gostado, em breve estarei postando a parte 2, onde devo explorar um pouco sobre o processo de abertura da empresa e falarei sobre tributação e leis trabalhistas no Canada e um paralelo com o Brasil.

Abraço!

 

17 comentários sobre “Empreender no Canadá (Parte 1 de 2)

  1. Sr IF365

    Ao ler o seu post me veio uma revelação importante, não sirvo para isso. O medo de abrir um negócio do zero e dar prejuízo já me assusta, imagina pegar algo que dá prejuízo à anos? Desejo muito sucesso, não deve ser fácil navegar por essas aguas absolutamente desconhecidas no exterior. Espero daqui um tempo estar lendo como não só vc reverteu o prejuízo como também já está planejando abrir a segunda loja!

    Sr. IF365
    http://www.srif365.com

    Curtido por 2 pessoas

    1. executivoinvestidor

      Vou ser sincero que tanto na minha experiencia no Brasil como nessa, os negócios que comprei envolviam riscos altíssimos. Porem sempre gostei muito de desafios e meio que sou movido a eles. Claro que quando envolve investimento procuro sempre me cercar de muita analise e dados, mas o risco sempre existe! Mas é perfil mesmo. A Sra Executiva é extremamente conservadora então procuro nem entrar muito em detalhes com ela pois sei que ela nem iria conseguir dormir com algumas decisões que tomo! rs… Agradeço os votos e a segunda parte desse post deve vir em alguns dias onde falarei também dos resultados obtidos com a empresa ate agora!
      Abraço.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Vida Sagaz

    Muito bom! Interessante esta abordagem com business brokers, uma pena o Brasil não difundir tal padrão de profissinalismo. E fundamental a parte da negociação, nunca aceitar uma primeira proposta deveria ser regra, muitas vezes subestimamos o potencial de ganho que uma negociação pode trazer.. Parabéns! No aguardo da continuação!
    Abraço e sucesso!

    http://www.vidasagaz.com

    Curtido por 1 pessoa

    1. executivoinvestidor

      Pois é VS, no Brasil esse conceito ainda engatinha mas torço para que evolua pois é uma segurança a mais para ambos comprador e vendedor! E negociação é essencial mesmo, temos que pensar que pior não vai ficar então não custa tentar!
      Abraço!

      Curtir

  3. Muita massa essa sua experiência!

    Muita coragem mesmo não só de comprar um negócio no vermelho mas principalmente considerando que você estava recém chegado no país, sem conhecer a fundo a cultura, legislação e hábitos de consumo dos canadenses.

    Aguardando o próximo post sobre como você conseguiu alavancar as receitas!

    Vou te add no meu blogroll!

    Abraço!

    Curtido por 1 pessoa

    1. executivoinvestidor

      Obrigado SM! Realmente o desafio foi grande bem como o stress inicial (sou uma pessoa bem ansiosa então os primeiros meses foram tensos para ver os resultados!)
      Ainda essa semana postarei o segundo capítulo! Rs..

      Vou te adicional no meu blogroll também.
      Abraço!

      Curtir

  4. Acho foda estes posts de empreendedorismo!!
    Apesar desse negócio estar no vermelho qndo vc o comprou o risco dele é “menor” (ou talvez deva dizer risco “melhor”) pq depende mais de vc melhorar o operacional!!

    Já no Br, existem muitos “riscos” unknowns… mudanças bruscas de leis, normas, impostos, assalto etc fora a ameaça de processo trabalhista que vc tb comentou no seu outro post…

    Imagino que vc deva ter cortado algus postos de trabalho… como foi a experiência aí no CAN?? Não só legalmente falando, como o recebimento da notícia pelos funcionários, etc…. imagino que eles tenham um “auxílio desemprego” melhor aí e levem a demissão de forma mais profissional tb…

    abs
    Victor

    Curtido por 1 pessoa

    1. executivoinvestidor

      Exato Victor, todos os riscos estavam na minha frente, sem surpresinha! No próximo post falarei um pouco mais sobre as questões trabalhistas aqui, e o que fiz até agora para melhorar o resultado da empresa.

      Abraço!

      Curtir

  5. Pingback: Empreender no Canadá (Parte 2 de 2) – Executivo Investidor

  6. Pingback: Retrospectiva 2018 e Metas para 2019 – Executivo Investidor

  7. Pingback: Minha Carteira​ de Investimentos​​ – Executivo Investidor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s